quarta-feira, 2 de março de 2011

A BEM DA NAÇÃO...TRISTE, NEGRA

* Novo Ano, não é forçosamente um Ano Novo! A esperança foi a última a morrer, mas...coitada não aguentou mais os ataques mesquinhos que a ela fizeram e foi-se.
* O poeta escreveu "...alma minha, gentil que partistes deste mundo descontente...". Sem querer plagiar ninguém, exclamo com a minha voz já frouxa - de tanto gritar - tirem-me deste sofrimento atroz, desta dor que dói sem doer, deste martírio para cuja cura ainda não foi criada qualquer mézinha.
* Não pedi para nascer...mas peço para morrer deste meu país; já que sou "um covarde" e como tal incapaz de me imolar...
* Medidas urgentes precisam-se para se evitarem males maiores. É verdade que por morrer uma andorinha, não acaba a Prinavera; mas por cada cidadão que morra o ESTADO deixa de poder contar com os respetivos euros!
* Quantas das mortes (por suicídio - qualquer que seja) ficam contabilizadas, com as causas determinantes?
* Coitado, olha aquele atirou-se da ponte...olha o outro atirou-se para a frente do comboio...aqueloutro deu um tiro...isto é o que está a acontecer no nosso país. Será que ainda falta muito para descobrirem?
* Não! Este vosso amigo ainda não está maluco...está esgotado  de viver , lutando qual Dom Quixote contra "moinhos de vento"...
* Ficam estes rabiscos para a posterioridade de alguém que sempre pugnou por uma sociedade igual para todos...sem fossos entre ricos e pobres! Razão tinha (e tem) o cidadão José Teixeira da Silva, nascido na freguesia de Recezinhos (São Mamede) do concelho de Penafiel, que ficou conhecido pelo "Zé do Telhado". Roubar é crime...mas maior crime é tirar aos outros aquilo que eles já não têm...um catre para dormir, um naco de brôa para comer. Os ricos são os senhores do feudo, disponhem dos "escravos" a seu bel-prazer. Está usado, deita fora...não serve, acabe-se com ele...
* Meus amigos (já que não conheço inimigos...) isto não é uma DESPEDIDA...mas poderá ser um SÉRIO AVISO.


Escrito em Gondomar, por "texasselvagem" e
segundo as regras do Novo Acordo Ortográfico.  

Sem comentários: