terça-feira, 20 de julho de 2010

A felicidade existe?

* Sim, a felicidade existe sem quaisquer margens para dúvidas! É preciso irmos ao encontro dela...Certo é também que, nos tempos presentes, ela anda afastada da nossa sociedade. As pessoas andam infelizes, irritadiças, sem qualquer previsão de melhorias.
* É verdade que muitas das vezes as pessoas queriam "emprego" e não "trabalho"; no entanto (e até que me provem o contrário) hoje não é assim. O desemprego cresce dia a dia, os nossos filhos ficam sujeitos a um trabalho por dois anos e depois...desemprego! Claro que ficam desmoralizados, diria mesmo combalidos...
* A miséria começa a vir ao de cima, aliás já transbordou! Eles começam a pensar se valeu a pena os pais terem gastos "pequenas fortunas" em material escolar para ficarem "ao alto", com a agravante de os pobres dos pais já não saberem o que fazer, pois eles próprios se sentem inseguros.
* Sinceramente não vejo o motivo de se terem acabado com os "empregos para toda a vida". Se um funcionário, um operário ou um trabalhador corresponde inteiramente às expectivas, por que não garantir-lhe a fonte de subsistência?
* Nas sociedades que por - dá cá aquela palha - abrem "falências" gostaria de ver os administradores, os gerentes a passarem pelas mesmas dificuldades; de certeza que estas diminuiriam em grande número.
* Que sociedade esta que não estima, não respeita todos aqueles que a sustentam-na...Quando a torneira europeia se fechar para o nosso pais, é ver quem vem tomar conta de nós...
* Os meus ideais, nesta altura, levam-me a proclamar em alta voz "VOLTA SALAZAR, ESTÁS PERDOADO!" Esse, pelo menos, deixou os cofres do Banco de Portugal cheios de ouro, para os governantes (ditos de progressistas) o terem esbanjado até ao último milésimo de centavo! 
* CRISE, chamem-lhe o que quizerem...são as altas esferas da nossa sociedade que a provocam. Dela resulta a miséria, a necessidade e por acréscimo - os mais débeis - provocam o caos.
* Se  temos um euro no bolso, por que gastar dois? Só porque o vizinho do lado tem cinco euros no bolso, eu quero ter dez? Não, se PORTUGAL não se sustenta sozinho, alguém o tem de vir sustentar...(é o princípio básico da vida de qualquer animal).
* A infelicidade arrasta a tristeza, a solidão e - em casos extremos - o suicídio!
* Que mãe, que pai terá coragem de dizer ao filho - hoje não temos pão, não temos nada...
* Para todos os que fizerem o favor de me lerem, que sirva de meditação!



Escrito em Gondomar, aos 20.Julho.2010, por texasselvagem.

Sem comentários: