quarta-feira, 11 de maio de 2011

SONHO...NÃO SONHADO, MAS VIVIDO!

* Uma família começa por ser um conjunto de pessoas; que podem ou não ser do mesmo sangue!
* Pois bem, a família tem o seu início na união de dois seres humanos distintos, de que poderá resultar  alguma prole - nos tempos presentes, talvez nenhuma!
* Bem, numa família clássica há uma ramificação, na qual me insiro. Com efeito, depois de ter tido uma infância nada invejável (nasci em berço de ouro, fui criado como uma criança mimada e nem sequer consegui viver a juventude), dado que fui fruto de uma gravidez de alto risco (considerando a idade da mãe, 41 anos), levando a que fosse sempre tido - perdoem-me a expressão - como um "menino Lucas".
* Após algumas batalhas travadas no seio familiar (pai e mãe), lá acabei por ganhar a guerra, não sem que houvesse algumas mazelas! Estamos a reportar-nos aos anos cinquenta do século passado, na plenitude do Estado Novo...dos  Liceus...das Escolas Técnicas...Da Mociedade Portuguesa. Enfim, tempos que não me deixaram saudades, embora como tivesse dito, nascesse em "BERÇO DE OURO" que se veio a transformar em alguns espinhos!
Pronto, deixo esta retórica, para dizer que me consorciei com vinte e oito (e meio) anos, com a mais bela "sereia vilameanense" que se tornou na mãe da minha prole, o VITOR HUGO (com vinte e três anos) e a JOANA MARIA (com vinte).
* Para quem não gosta de ler, o texto já vai demasiadamente longo; mas, para quem - como eu - gosto de escrever, sem mastigar as palavras, ele ainda nem a meio chegou.
* A minha pessoa e a minha consorte (não confundir com sorte) no dia 19 do pretérito mês de Outubro perfizemos as nossas bodas de prata; tendo tido o grato prazer de sermos obsequiados com uma viagem de quatro dias e três noites à "Pérola do Alântico" (Ilha da Madeira) pelos nossos dois filhos, sinal inequívoco de que eles se sentem felizes com os progenitores. Desde logo a viagem ficou marcada para coincidir com a "Festa das Flores" que se realiza no corrente mês de Maio.
* Deixando para trás, a vida familiar, vou esmiuçar sobre a dita viagem que ocorreu entre os dias 06 e 09 (de sexta a segunda-feira).
* Após dois contratempos - de que não vou culpar ninguém - sendo que um deles até resultou a nosso favor, lá fomos para a ilha. Éramos para partir no voo das 08h55, o que não se vrificou por já estar cheio; tendo ido no voo da TAP 1573, a bordo de um Airbus A-320 (com capacidade para 156 passageiros) de nome "Natália Correia" (*), tendo chegado ao Aeroporto Internacional do Funchal, sãos e  salvos uma hora e quarenta cinco minutos, após o embarque. O regresso deu-se no voo TAP 1574, agora a bordo de um "Airbus" A-321, com capacidade para 194 passageiros, denominado por "Amália Rodrigues" (**) cuja hora de partida foi às 12h05 e chegada às 14 horas ao Aeroporto Doutor Francisco Sá Carneiro (ex-Pedras Rubras), onde tínhamos os nossos rebentos a aguardar ansiosos.
* A estadia estava prevista ser no regime de alojamento e pequeno almoço, em hotel de quatro estrelas, o que foi alterado na véspera, sendo que acabamos por ficar instalados no mesmo regime mas num Hotel de cinco estrelas - sempre se subiu de "burro" para "cavalo" - concretamente o de "The Cliff Bay" que pertence ao grupo "Porto Bay Hotels & Resorts" - e se situava na Estrada Monumental, em pleno centro da  cidade do Funchal.
* O quarto que nos veio a ser atribuído tinha o número 326 (terceiro floor), ficando com vistas para a esplanada privativa e para pleno Oceano Atlântico,
com suas águas calmas e azuis a impressionar-nos pela sua imensidão.
* Como anteriormente foi dito a nossa estadia coincidiu com a anual "Festa da Flor", que culminou com um imponente desfile no domingo, dia 08, a que tivemos o privilégio de assitir, sendo que os vários grupos (***) participantes, carros alegóricos e figurantes eram trajados com motivos florais.
* Excetuando as deslocações entre o Aeroporto e o Hotel - dezassete quilómetros de distância -  e uma subida ao "Monte" no Teleférico para visitar o Jardim Botânico, tudo foi feito a "pedantes", dando-nos a possibilidade de se ver alguns monumentos, tais como a Sé do Funchal, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, as ruas históricas e cheias de varandas floridas, o Edifício da Autarquia (franqueado ao público), "Dómus Justiçae" (****), a marina e o porto de embarque dos cruzeiros.
* Quando regressei fiquei com vontade de lá ter ficado, pois aquilo é de fato - política à parte - um mundo diferente, que surpreende pela positiva, apesar da tragédia que se abateu há pouco mais de um ano.
* Pela negativa surpreendeu-nos o aspeto do mui digno "comandante" daquela Região Autónoma que se apresentava bastante fragilizado - ao invés do que os "media" nos querem impor.
* Despedimo-nos em beleza, no meio do colorido das flores e plantas, com vontade de um regresso breve (ou se quiserem com um até já...)

NOTAS DO AUTOR:
(*) NATÁLIA de Oliveira CORREIA, nascida em Fajã de Baixo, ilha açoriana de São Miguel e falecida em Lisboa em 16 de Março de 1993, além de poetisa foi - com muito mérito - uma inteletual e uma política, tendo chegado a deputada.
(**) AMÁLIA da Piedade RODRIGUES, conhecida como a "Rainha do Fado", nasceu em Lisboa em 01 de Julho de 1920 (embora tenha sido registada noutra data, dois dias após), cidade onde veio a falecer com 79 anos em 06.Outubro.1999 foi uma atriz, mais conhecida como fadista, internacionalmente.
(***) TEMAS DOS GRUPOS PARTICIPANTES NO CORTEJO ALEGÓRICO:
a) - "Corações em Flor" - Veteranos da Folia;
b) - " DAHLIAS" - Isabel Borges;
c) - "IMPERIALIS" - Associação Fura Samba;
d) - " JARDIM DAS MARGARIDAS" - Chico & Companhia;
e) - "JARDIM DAS ORQUÍDEAS" - Fábrica de Sonhos;
f) - "MADEIRA, O TEU JARDIM" - Escola de Samba Caneca Furada;
g) - "MAGNÓLIA RAINHA" - Associação de Animação Geringonça;
h) - "UMA ROSA DA LAURISSILVA" - João Egídio Rodrigues;
i) - "UMA TARDE NO JARDIM" - Turma do Funil, não necessariamente por esta ordem.
(****) - Tal como consta na Frontaria e com a respetiva figura esculpida em granito - PALÁCIO DA JUSTIÇA ou CASA DA JUSTIÇA.


Escrito em Gondomar, por "texasselvagem" aos 11.05.2011, pelas 21h45.          

1 comentário:

Filó disse...

Gostei, faltou uma fotografia para ilustrar. Fico contente por teres gostado, tens que repetir.Bjs Filó