segunda-feira, 20 de junho de 2011

PAÇO EPISCOPAL DO PORTO - A MINHA CIDADE NATAL





* Frequentemente é atribuida a iniciativa da construção do "PAÇO EPISCOPAL DO PORTO" ao bispo Dom Frei João Rafael de Mendonça (nascido em 25.Abril.1717 e falecido em 06.Junho.1793, que foi bispo de Pinhel nos anos de 1770 e 1771 e do Porto de 1771, até à sua morte, 1793), o que implicou a demolição total do antigo paço e a encomenda deste novo projeto. No entanto, a construção da obra ir-se-ia prolongar durante vários anos e o bispo não chegaria a vê-la completa. Ainda assim, muitos trechos do traçado original foram alterados e outros terminados apressadamente em prejuizo do conjunto global, estrutura, clareza e unidade arquitetónica.
* Porém, já é consensual a influência de Nicolau Nasoni no alçado da frontaria, projetando-se em duas fachadas facilmente reconhecidas, a de ocidente e a do sul. Deste bloco, de digna imponência, majestosa e elegante mas não pesada, rasgam-se dezenas de janelas barrocas. Perto da Sé Catedral, sobre penhascos colossais, a fachada principal acabou por ficar a mais baixa.
* Foram feitas várias obras de reconstrução do paço, tendo sido uma das mais importantes aquela efetuada pelo bispo Dom Luís Pires (bispo de Braga, e do Porto entre os anos de 1454 a 1464), ao qual se deve o mérito de aumentar e organizar a importante biblioteca. A mais profunda remodelação seria durante a idade barroca, da iniciativa do Cabido da Sé do Porto.
* Nos nossos dias este paço pertence ao Estado Português e foi recentemente recuperado.
* No eixo da composição ergue-se o conjunto portão-janela de honra. O brasão de armas, em pedra, sobrepões-se ligeiramente ao friso do entablamento que decora a frontaria e acima do beirado eleva-se um frontão curvo e ornamentado, como coroamento do monumental eixo. O brasão é flanqueado de larga decoração. Sobre as lojas, para as quais se abrem cinco portas almofadadas e sete janelas baixas e gradeadas, avistam-se as 24 (vinte e quatro) janelas do andar nobre, doze (12) de cada lado, unidas verticalmente duas a duas, alternando-se os ornamentos; uns festivos e oitros menos ornamentados; cada una destas janelas abre para varandins guarnecidos de ferro forjado e desenho delicado.
* O interior é composto por amplos salões, alguns exuberando excelentes peças de mobiliário, nuitas salas, muitos quartos caraterísticos da época anterior à sofrida expropriação. No fundo do vestíbulo desenvolve-se a escadria nobre, com decoração mural bem posterior à do início do projeto, embora surprendemente concordantes no seu conjunto, tetos, lanternins, patamares, corrimões e a entrada do andar nobre, digno de um verdadeiro portal palaciano.
* (O Paço Episcopal do Porto, situa-se no Terreiro da Sé, paredes meias com a Catedral, na freguesia do mesmo  nome).


Compilado em Gondomar, por "texasselvagem"

NOTAS: Todos os parênteses () são da responsabilidade do autor e resultam de pesquisas efetuados por este.
               Texto redigido ao abrigo do atual Acordo Ortográfico para a Língua Portuguesa.    

Sem comentários: