segunda-feira, 19 de setembro de 2011

MUSEU MILITAR DO PORTO!



* O "MUSEU MILITAR DO PORTO" é uma instituição pertencente ao Exército Português, vocacionada para a preservação da história militar.
* A vontade (necessidade) de criar um Museu Militar partiu do meio civil, liderado pela Câmara Municipal do Porto e à volta da coleção do pintor portuense JOAQUIM VITORINO RIBEIRO, corria o ano de 1920, quando o Presidente da República (de então), Doutor António José de Almeida, inaugurou uma exposição sobre a Revolução Liberal de 1820, na cidade do Porto.
* A Instituição Militar, em 1957, através da sua Região Militar do Norte (na época Comando da 1ª Região Militar), tentou fazer um levantamento das tradições histórico-militares e adaptar o Castelo de São João da Foz do Douro para museu.
* A partir do ano de 1970, procura-se uma alternativa áquele Castelo, para instalar o Museu Militar, devido ao elevado custo da adaptação do imóvel. Esse espaço veio a surgir, somente, no ano de 1977, num edifício situado no termo da Rua do Heroismo (desenvolvendo-se ainda para o Largo Soares dos Reis), na freguesia "tripeira" do Bonfim, onde funcionara a delegação da PIDE/DGS (Polícia Internacional de Defesa do Estado/Direção-Geral de Segurança), desde a década de quarenta e até 1974 (25 de Abril).  
* O Conselho da Revolução, pelos decretos-leis 947/76 de 31 de Dezembro e 242/77 de 08 de Junho, define os objetivos e cria o MUSEU MILITAR DO PORTO. A sua inauguração solene efetuou-se em 21 de Março de 1980, pelo então Presidente da República Portuguesa, General António dos Santos RAMALHO EANES, e ficando definitivamente ao dispor do público.
* O acervo do Museu tem duas proveniências: ofertas particulares e material do Exército, com interesse histórico e museológico.
* O seu ex-libris é a coleção de miniaturas da evolução do soldado, desde a pré-história até aos nossos dias. Esta coleção é representada por cerca de dezasseis mil (16000) miniaturas, provenientes das mais famosas fábricas de miniaturas europeias e não só. Este museu dispõe também de uma sala específicamente dedicada à Revolta de 31 de Janeiro de 1891 (a "Janeirinha").
* O acervo compôe-se ainda de Bocas de fogo e Carros de combate, abarcando um período, entre os séculos XV e XX, que se encontra no parque das Armas Pesadas e no Pavilhão das Armas. Neste último espaço, pode-se observar a evolução das  armas brancas e algumas coleções de armas de fogo, entre outras peças de interesse histórico-militar, tornado-se um complemento aos conteudos programáticos do ensino da História Pátria e Mundial.
* Fora tudo o já descrito, o Museu complementa-se com uma pequena biblioteca temática que está ao dispor dos consulentes (público em geral).
* Passando agora um pouco à história do edificio, este foi inicialmente destinado à habitação de Dona Maria Coimbra, sendo mandado construir nos finais do século XIX. É uma construção caraterística de finais oitocentistas, concebido para residência familiar. Serviu para albergar freiras espanholas, durante a Guerra Civil Espanhola, e, depois de 1936 o Estado alugou o imóvel para nele instalar a polícia política (PIDE/DGS). Finalmente, no ano de 1948, o mesmo Estado acabou por adquirir o edifício a Dona Isménia Aurora Pinto Coimbra, por quatrocentos e cinquenta contos.

Compilado em Gondomar, por "texasselvagem"

TEXTO REDIGIDO SEGUNDO AS NOVAS NORMAS DO ACORDO ORTOGRÁFICO PARA A LÍNGUA PORTUGUESA. 

Sem comentários: